O ângulo certo

Escondendo minha cara de cansada só pra dizer que... ⬇️
Quem me conhece pessoalmente sabe que fotos não dizem muito sobre meu corpo. A foto perfeita é realmente uma questão de ângulo. Então não se iluda nas redes sociais.
Eu fiquei tão feliz por me sentir bonita em um cropped. Faz tempo que paquero essa peça. E não que eu goste tanto de peças curtas, mas essa em especial eu gosto.
Outra vez digo: não é sobre ser GORDA ou MAGRA. É sobre me sentir bem comigo mesma. Não se trata de padrões impostos, é sobre gostar do que EU vejo no espelho.
Todos falam que eu to bem, mas não me sinto assim. E não se engane, não quero um corpão sarado. Tudo que quero é olhar pra o meu corpo e achá-lo proporcional. Harmonioso!
Da mesma maneira que ninguém pode me obrigar a ser refém da magreza, ninguém pode me impedir de querer ela. É uma escolha unicamente minha. Apenas..
“ACEITAÇÃO” também não se impõe tá?!
E ACEITAÇÃO não é deixar de cuidar do seu corpo. É cuidar dele e amá-lo durante esse processo ❤️

Ame-se do jeitinho que você é. E melhore se VOCÊ quiser. Mas acima de tudo CUIDE do seu corpo. Siga uma boa alimentação, ao invés de ficar comendo porcaria.
~ Conselho de amiga 💕

‘Amanda Sorráby


 Me segue no insta @amandocca

Escolha certa

Namore ou case com alguém que te complemente, e que que seja capaz de transformar sua tempestade em calmaria. Alguém que não te imponha limites e não te aponte defeitos, mas que seja capaz de te fazer enxergar os deslizes que você cometer.
Namore ou case com alguém que consiga explorar e extrair o melhor de você. Alguém que não precise de muito para amar o que você é, e que não tenha medo de ser transparente com você, porque honestidade é tudo.

O dia de hoje me fez refletir: 👇🏼
Quando anunciei meu relacionamento as pessoas pergunvam:
Menino, como é que tu aguenta Amanda?
-  Isso sempre me incomodou, porque ninguém quer ser um peso na vida do outro, né?!
Mas hoje, depois de receber uma péssima notícia, fiquei estressada/magoada/decepcionada/Tudo Que Você Imaginar.
E ele, mesmo tendo sido afetado por essa também, chegou do
trabalho radiante e me pegou de surpresa com esse presente.
Agora eu me pergunto: depois de uma situação tão estressante,
como é que ele ainda me aparece desse jeito??

Ele me disse que é amor e, depois de hoje,
eu realmente não tenho como discordar.

‘Amanda Sorráby

Vaidade na vida de casada

Culturalmente, aprenderemos a caprichar no visual quando vamos à rua [passear] e ficar de qualquer jeito em casa. Isso começa quando a mãe da gente define que as roupas melhores são as de sair e as roupas velhinhas são as de brincar em casa.
Quando a gente cresce isso fica tão automático, que até as roupas de trabalho ganham uma classificação. São aquelas medianas que aguentam bem a jornada, e que parecem ser melhores do que são.
No casamento isso piora para algumas mulheres. A gente fica tão exausta com o trabalho e as tarefas da casa, que a vaidade fica cada vez menos importante. Às vezes até para sair de casa, porque cuidar da aparência é quase uma obrigação quando vamos a algum lugar.
Isso quase aconteceu comigo. Fui me perdendo no abismo do cansaço, que muitas mulheres caem [e não as julgo por isso, não é fácil mesmo]. Só que comecei a me olhar diferente, não aceitando muito aquela nova realidade. Então descobri que a vaidade, no seu sentido de cuidado, é um direito e não obrigação.
Quando estou cansada, paro o que estou fazendo e vou cuidar de mim. Faço uma make, algum tratamento de rosto. Quando o tempo é longo lavo e hidrato meu cabelo, depois seco e modelo, porque tenho o direito de me sentir satisfeita comigo mesma.
Da mesma maneira, posso não gostar de nenhuma dessas coisas, ou até sair completamente natural, porque ninguém tem nada a ver com isso, e não é regra sair aparentemente impecável de casa.
A questão aqui é cuidar de si cuidar de si, independente de padrões de estética. Faz parte de nos sentirmos felizes com o que somos. Porque nossa aparência e bem estar tem que agradar primeiro a nós.

A única coisa que deveria ser regra, é ter a saúde mental em dia, porque depois que começamos a pagar nossas contas, ninguém tem o direito de dizer o que ou como a gente deve ser [ou parecer].

‘Amanda Sorráby