Quando alguém zombar do seu sonho, NÃO DISCUTA. Apenas mostre do que você é capaz.
Toda vez que a gente se incomoda com a opinião [maldosa] de alguém, é como se estivéssemos aceitando ou admitindo o que outro diz. Quando a gente revida com a mesma maldade, é como se a gente estivesse plantando, lá no fundo da nossa indignação, uma semente ruim de cultivar.
Ninguém sobrevive da opinião alheia. Não se enche o bucho nem se paga as contas com isso. E quanto mais se bate de frente, mais se quebra a cara da gente. Quem ofende não sente culpa, nem perde o sono por isso. Quem não pesa o que fala, não se importa com quem vai machucar. 
O preconceito e a falta de empatia funcionam em 8 ou 80. Quando se expõe os fatos, ou a pessoa enxerga sua ignorância, ou se orgulha dela. Não perca tempo tentando mudar quem não se coloca no seu lugar. Não adianta explicar pra quem não quer entender. É como diz minha avó: não gaste vela com defunto ruim.
Quando a gente aprende a ignorar quem não vale a pena, e começa a plantar o bem em quem quer cultiva-lá, tudo vai se encaixar. Nenhum obstáculo vai ser capaz de te fazer parar. Ninguém vai ter espaço pra tentar limitar quem você é e o que você é capaz de fazer.

Então apenas SEJA!

Por Amanda Sorráby

Azul ou Rosa

Não faça protestos. Seja um protesto!

Imagine um mundo onde todas as pessoas pensam igual. Ninguém discorda em nada. Onde toda e qualquer coisa é unanimidade. A definição para isso é TÉDIO.
A gente precisa entender que o outro tem o direito de pensar diferente, desde que haja RESPEITO. Use as cores que você quiser. Seja quem você quiser. Nada te impede, nem a falta de amor de alguns.
Nós deveríamos ser capazes de construir bons diálogos, que resultassem em respeito. Guarde essa palavra: RESPEITO. Em vez disso a gente briga por tudo. Até pela ordem na fila do pão. 
Pare de BRIGAR pelas coisas, e comece a conquistar cada uma delas com RESPEITO. Se uma pessoa se recusa a entender ou te ouvir, então não fale. Não gaste seu latim. 
Não transforme qualquer situação em guerra. Guerra é quando alguém ameaça sua vida. Aí sim a gente dá o sangue e sobrevive pela honra, mas o resto é opinião alheia. Apenas!

Mostre para si mesmo que você é incrível. Quando você acreditar nisso, então ninguém poderá te afetar. A gente não precisa provar nada a ninguém. Isso cansa. Desgasta em vão. A gente só precisa ser e crer.

Por Amanda Sorráby

Diário de uma falsa magra #4


Tatuei autoestima 

Depois de me odiar pelo que deixei acontecer com meu corpo, passei a cobrar cada vez mais de mim. Até perceber que estava apenas reclamando sem fazer nada a respeito. É inútil esperar que os problemas se resolvam sozinhos. Isso não acontece nem em novelas.

Já explicei que não é uma questão de ser gorda ou magra, mas de me sentir bem comigo mesma. Mais importante do que agradar aos outros, é me sentir inteira e satisfeita com o que sou. Isso quer dizer que não sou obrigada a ter um corpão sarado. Do mesmo modo, não sou obrigada a relaxar com minha aparência só para provar que não sou escrava de determinados padrões de beleza. 

Dia desses vi um post no Instagram da minha amiga Janai Coelho. Ela fez uma foto de bikini na praia, e achei incrível. Janai não está no grupo das magrinhas, mas aprendeu a não se punir por isso. Eu não estou no grupo das magrinhas nem no das gordinhas. Sou a falsa magra, com buxinho de pochete e braços flácidos, que parecem uma asa delta[risos]. Não levem a mão essa definição de mim mesma, é uma brincadeirinha particular minha. 

Pois bem. Fiquei neurótica com essa coisa de ter uma boa aparência, principalmente quando passei a ser vista como uma “pessoa da internet” no Instagram. Comecei a me sentir cada vez mais feia. Todo dia achava um defeito diferente. Até minha ficha cair. Aquilo era ridículo. Eu precisava me amar e me encorajar a ser o melhor que eu pudesse. Sou a única pessoa que tem o dever de estar ao meu lado e me motivar quando for preciso. 

Tudo ficou mais fácil quando descobri que havia mais coisas interessantes em mim do que eu imaginava. Decidi observar mais as qualidades do que os defeitos. Aprendi que a paz interior faz refletir o melhor do lado de fora da gente. Foi quando resolvi tatuar uma das partes que mais me incomodam no meu corpo. Desde então, tenho feito vista grossa, e meu braço gordinho passou a ser uma das partes mais bonitas em mim [não estou falando que você deve se tatuar]. 

Também mudei minha rotina de alimentação e atividades físicas. A @pk_nutriestetica (no Instagram) tem sido uma grande aliada nessa fase. Ela preparou uma dieta super flexível para mim, tanto que estou seguindo sem choro. Só tive problemas com os horários das refeições, porque ainda não me adaptei a comer tantas vezes por dia. E estou deixando a desejar nas atividades físicas, mas já estou orgulhosa por conseguir obedecer a dieta sem deslizes. 

  • Tive apenas um deslize, mas foi mínimo, e realmente fui forçará pela situação 


É isso. Amor próprio é fundamental. E quem ama cuida. 



‘Amanda Nascimento