Surreal


     Minhas mãos percorreram sua face canto a canto, em busca de detalhes que só de longe conhecia, e tão raramente apreciava. Seu rosto é expressivo e pequeno. Seus lábios macios parecem nuvens - como se fossem feitos de algodão - e têm doçura forte e encorpada, melhor que iogurte com mel e cereal. Estar em seus braços foi como deitar num gramado fresco no meio do parque. Seus dedos, emaranhados em meus cabelos, formaram uma brisa suave, refrescando e trazendo o descanso dos justos. Suas mãos eram fortes, mas cuidadosas, e seguravam meu corpo, alternando entre um ponto e outro, como quem tem medo de deixar voar. Pude sentir a calmaria que inspira liberdade; me senti completamente segura. No final, um beijo afobado levou minutos de nossas vidas. Poucos ou muitos. Não sei ao certo. Perdi o fôlego e a noção do tempo.
     Acho que era domingo chuvoso, quando acordei decepcionada. O tempo parecia ter voado e ele já não estava ao meu lado. A princípio me questionei quanto à realidade dos fatos, era tudo que eu queria e esperava, mas algo dentro de mim dizia: Acorda! Tudo não passou de um sonho.

'Amanda Nascimento 

10 comentários: