Sobre não ser



Como a insônia,
que me rouba o tempo e o sono,
você toma minhas noites.
Hora por hora. Sem parar.

Como o vento,
que bagunça meu cabelo e me deixa sem jeito,
Você vem e passa.
Nunca fica.

Como a esperança,
que dá um frio na barriga,
e a espera do que ainda é desconhecido.
Você é imprevisível.

Eu te vejo e te alcanço;
eu posso te tocar,
mas estar aqui ou ali não me faz ser sua,
não permite eu me entregar. De manhã.

Carma. Darma. Ou mero acaso.
Você é conflito dentro de mim.
É uma chuva Insistente no litoral.
É calor que só aquece quando já é meio dia.
É frio que congela o sono antes de dormir.

Você é tudo. E não é meu.