Sentimental


Vamos lá com aquelas verdades que a gente só admite quando ta ficando velha..

Sim, sou manteiga derretida. Fico muito triste quando preciso me esforçar para ganhar atenção, ou quando invisto minha atenção em quem sequer tem interesse nela. Mas quem nunca, não é mesmo?!

NÃO TO FALANDO DE crush/paquerinha



Este não é um post de lamentação. É um mini tutorial de como ser uma pessoa melhor. 


Primeiro: dê às pessoas a mesma importância e respeito que elas te dão. Às vezes, eu super considero a pessoa e trato com toda gentileza, mas ela não perde uma oportunidade de me alfinetar. - Isso me fere de verdade. -

Segundo: ajude para ser ajudado. Tem situações em que fica evidente que preciso de ajuda de alguém, mas as pessoinhas à minha volta simplesmente não estão afim de me ajudar, e isso é um direito de cada um. Ok! Só que as mesmas pessoinhas muitas vezes correm para mim quando precisam de algo. Fica difícil.

Terceiro: eu não sou todo mundo. Fato comprovado e assinado pela minha mãe. Então não seja desagradável comigo só porque alguém foi assim com você. Aliás, não faça isso com ninguém. Não atribua culpa a quem não tem nada a ver com a história. Simples.

Quarto: não há nada de errado em querer ser o melhor em alguma coisa, mas saiba absorver coisas boas de quem tenta lhe ajudar. Não adianta conquistar o mundo se não tiver ninguém para comemorar com você. Sabemos que ninguém vive sozinho para sempre. 

Por último... se você também é sentimental, não se preocupe. Não somos feitos de pedra ou aço, e mesmo que a gente fosse, não seriamos indestrutíveis. Apenas evite ficar perto de pessoas que não te compreendem, e não se dê por vencido NUNCA. Com certeza você já ouviu alguém dizer que "Deus não nos dá um fardo maior do que o que podemos carregar", e eu acredito nisso. Quando Deus nos dá uma tarefa, ele nos capacita para realizá-la, ou seja, se ele nos deu a vida, somos capazes de fazer algo extraordinário enquanto ela durar. Acredite e reaja. Não fique esperando sabe lá o quê, nem se lamente pela morte da bezerra. Euzinha sei que não é fácil, já quis desistir MIL VEZES, mas continuei insistindo. Percebo que continuar tentando foi a melhor escolha. Não deixe a vida te levar, arraste ela e faça acontecer. 

P.s. se você tem um amigo que vive na deprê, ou conhece pessoas que ainda não sabem ser legais.. compartilha esse post com eles.

Até mais. Beso!

'Amanda Nascimento

Oposto Perfeito



"Ruim com ele, pior sem ele"

A gente escuta essa frase a vida inteira e todos acreditamos nela. Porque talvez seja verdade. Normalmente fazem referência aos relacionamentos. Ruim, neste caso, não seria a pessoa em si, mas os conflitos que temos quando dividimos a vida com alguém. Seja um namorado, marido, amigos, ou familiares. Parece loucura defender que devemos aceitar esses impasses, mas a convivência só é uma tarefa difícil porque ninguém é obrigado a viver a verdade de ninguém. Estou tentando dizer que a distinção entre as pessoas, no modo de pensar e sentir, embora seja natural (eu diria até necessária) em algum momento gera esses conflitos, e é preciso muita maturidade para sair ileso dessas "brincadeirinhas" da vida. É como uma fase de vídeo game, só que na vida real. Quando você aprende a conviver com outras pessoas e a respeitar suas diferenças, sabe que está preparado de verdade para a vida. Pronto! Essa é a primeira lição para quem pensa em se casar, um dia. É preciso dominar essa habilidade, para não desejar esfolar a criaturinha até o anoitecer.. 

Agora eu gostaria de falar sobre como a pessoa que mais me irritava conseguiu me conquistar. Sim. Ele me tirava do sério. Porque, inacreditavelmente, ele sempre discorda de mim.

 - talvez não seja sempre, mas gosto de dramatizar um pouco.

Eu detesto política, mas discutir política é quase o hobbie preferido dele. Não suporto lentidão, ele age sempre com a maior mansidão do mundo. E juro que dessa vez não estou exagerando. Continuando... Eu gosto de música ruim de vez em quando, ele só quer saber de "rock n'roll". Eu sou alérgica a corrupção, ele trapaceia e rouba meus salgadinhos. Eu gosto de comédia e romance, ele prefere filmes de terror e ação. Eu adoro piadas, e ele consegue acabar com a graça de todas elas. Acho que deu pra ter uma ideia. 💡 

Ele é a pessoa mais maluca que conheço. Namorar comigo é a prova disso [risos]. E ele sabe me fazer sorrir como ninguém. Assim como sabe me acalmar, e me fazer sentir segura. Só ele me faz parecer inteligente e, vai por mim, eu não sou. Ele é o único que consegue ser paciente quando estou mais perigosa que um vulcão em erupção. Porque é isso que eu sou. Um vulcão ativo. Prestes a vomitar minha raiva. Dispensando a ajuda de terremotos [pula essa parte meio tensa]. Ele ronca do jeito mais estranho que já vi, e ronca bem alto. Sei disso porque sempre que assistimos um filme, ele cai num sono profundo. E ele consegue dormir vendo as comédias do Paulo Gustavo. Ou ele não é normal, ou realmente não gosta do gênero(comédia). Ou pode ser um pouco dos dois né?!

- mas ser normal nunca foi uma qualidade minha. Então tudo bem se ele tiver uns parafusos a menos.

Tudo que falei era só pra deixar um recado pra ele. Queria fazer algo diferente. É bem perceptível que não sou convencional. Essa foi a maneira que encontrei de fazer uma declaração pública, mas que fosse de certa forma discreta, porque ele não gosta muito de chamar atenção. Meu cabelo prova que sou o contrário.

Enfim..

Meu bem, eu espero te fazer feliz. Todas as vezes que eu fizer a sua comida favorita.
- aquele macarrão horroroso que você fala que é uma delicia.

Quero fazer isso de todas as maneiras possíveis. Inclusive, quando eu pentear o seu cabelo, porque você diz que não sabe fazer direito. Menos quando você estiver jogando Dota. Aí eu vou assistir muitos vídeos no Instagram, só pra deixar a partia lenta. Porque eu detesto esse jogo.

Amor, só estou tentando dizer que eu vou dar o meu melhor para conseguir te fazer feliz, mas que em algum momento eu vou falhar, porque sou humana. E é isso que os humanos fazem. Eles amam. E erram de vez em quando também.

'Amanda Nascimento